ESTE SOU EU

241257e1-8563-442b-a850-56e63f1ccdbd

Este sou eu, diferente de ontem, diferente hoje, e diferente amanhã. Digamos que sou uma mistura daquilo que sou com aquilo que já fui, cresci, amadureci, fiz escolhas, desfiz caminhos, ultrapassei obstáculos, me encantei pela vida, e fiz dela um lugar de morada.

Encarei os obstáculos com força, afinal precisei passar por cada um deles para que pudesse chegar até aqui, encarei as quedas não como uma derrota mas fiz de cada uma delas um aprendizado diferente, já abafei o choro com o travesseiro pra ninguém ouvir, já achei ter chegado no fundo do poço, já tive desgosto.

Já acreditei em quem não devia, e mergulhei em pessoas rasas, já pulei tentando pegar uma estrela, já me imaginei flutuando no espaço, já fiz questão de abraçar duas vezes, e de ler duas vezes o mesmo parágrafo, já anotei tarefas em folhas e desfiz com um amasso, já abatumei vários bolos, já gritei comigo mesmo, e sentei na terra molhada.

Já chorei, solucei, me entreguei, e me arrependi, já deixei pessoas me tocarem, já deixei pessoas me amarem, e já deixei que algumas dessas mesmas me enganassem. Já enviei carta nos tempos de hoje, já sujei o nome nessa idade, bebi mais do que devia, e demorei mais de uma hora em um banho.

Já fui criança e hoje sou jovem, jovem com alma de criança, criança com corpo de jovem, fotografei vários momentos, vivi vários momentos que de tão grandes não couberam em uma foto. Já xinguei quem não devia, me estressei por pouca coisa, deixei de comer mesmo estando com fome, dormi sem lençol na cama, já fui até o fundo do poço, mas voltei, porque lá o ambiente era pouco decorado.

Cantei sem ouvir, ouvi o que não precisa escutar, dancei sem música, porque a música na verdade ninguém mais do que eu mesmo podia escutar, música boa, tum tum, música do coração ele me dizia que precisava sonhar. O sonho me disse que deixasse de lado, qualquer empecilho, e voltasse a acreditar na vida, dela vale a pena o esforço e também o acreditar.

Já fui mais sensível, consegui nadar sem me afogar, já fui levado pela onda mesmo querendo ficar, já senti muitas dores e delas nem quero lembrar, mas este sou eu, menino que sonha, garoto com alma de criança, que chegou no fundo do poço e voltou a acreditar que não vale o esforço, se não tiver pelo o que sonhar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s